terça-feira, 19 de março de 2013

BATISMO; DAS ÁGUAS OU DO ESPìRITO SANTO ?

E, naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia, dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o Reino dos Céus.
Então veio Jesus da Galiléia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele. Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim?
Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então Ele o permitiu.
João, inicialmente, mostrou-se resistente em batizar Jesus nas águas. Ele teve receio de batizar a Cristo, e disse: Eu é que preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim? (Mateus 3.13-17).
Observe que João Batista rogou o batismo ao Senhor, mas em lugar nenhum da bíblia consta que João foi batizado nas águas, e nem por isso deixou de ser salvo, ele não precisava mais de batismo das águas, pois foi cheio do Esprito Santo, ainda no ventre da sua mãe (Lucas 1.41).
E, sendo Jesus batizado, logo saiu da água, e eis que se lhe abriram os Céus, e viu o Espírito de Deus descendo na semelhança de uma pomba e vindo sobre Ele. Eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.
Ao contrário do que muitos acreditam, Jesus foi batizado, não para dar exemplo, mas como Ele mesmo disse, para cumprir a justiça; e para ser Senhor de um novo batismo, não mais feito com elemento natural (água), mas um Batismo Espiritual, vindo do Alto pelo poder do Pai Criador, a fim de nos agraciar com o batismo do Espírito Santo e com o fogo, o qual é o selo da promessa para salvação (Efésios 1.11-13).
E, logo que saiu da água, desceu sobre Ele o Espírito de Deus na figura de uma pomba, e O selou com Espírito Santo para exercer o seu reinado entre os pecadores, porque Ele veio para ser o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.
Mas, não há relato na bíblia afirmando que o Senhor batizou alguém nas águas, somente os seus discípulos faziam isto (João 4.1,2), até que tudo fosse cumprido a respeito da sua morte, ressurreição e Ascensão à destra do Altíssimo. E depois de alguns dias cumpriu-se a profecia de João Batista que afirmava:
Em verdade, vos batizo com água para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; cujas alparcas, não sou digno de levar; Ele vos batizará com o Espírito Santo, e com fogo (Atos capítulo 2).
João deixou claro que o batismo de Jesus é mais poderoso do que o seu, porque em todas as situações o vencedor é sempre o mais poderoso, e o perdedor é anulado. Assim também o segundo batismo anula o primeiro.
João profetizava desta forma, porque reconhecia o valor transitório do seu batismo, o qual era somente uma preparação para um batismo superior e perfeito, que havia de vir através do Messias, nosso Senhor e Salvador. É neste conjunto que devemos entender o batismo de Jesus. Ele veio em cumprimento à preparação desenvolvida por João.
PEDRO É AVISADO POR UM ANJO DA NECESSIDADE DE ANUNCIAR O EVANGELHO A CORNÉLIO
Mesmo depois de receberem o selo da promessa para salvação e obra do ministério, os Apóstolos não entenderam que, após a ressurreição de Cristo, passaríamos a viver o tempo da graça e tudo mudaria. A prova disso, é que eles não anunciavam o Evangelho para os gentios, além de continuarem batizando nas águas.
Confira essa realidade nesta referência bíblica: Cornélio recebeu a visita de um anjo, o qual lhe orientou a procurar o Apóstolo Pedro, que lhe diria o que deveria fazer. Simão Pedro foi avisado por um anjo para que não recusasse a ordenança do Senhor, e chegando à casa de Cornélio lhes anunciou a benignidade de Cristo.
E, dizendo Pedro ainda a Palavra de salvação, caiu o Espírito Santo sobre todos os que o ouviam, os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios.
Porque os ouviam falar em línguas e magnificar a Deus. Respondeu, então, Pedro: Pode alguém, porventura, recusar a água, para que não sejam batizados esses que também receberam, como nós, o Espírito Santo? E mandou que fossem batizados em nome do Senhor (Leia capítulo 10 de Atos).
PEDRO JUSTIFICA-SE A IGREJA POR TER ANUNCIADO O EVANGELHO AOS GENTIOS
E ouviram os apóstolos e os irmãos que estavam na Judéia que também os gentios tinham recebido a Palavra de Deus. E, subindo Pedro a Jerusalém, disputavam com ele os que eram da circuncisão, dizendo: Entraste em casa de varões incircuncisos e comeste com eles.
Mas Pedro começou a fazer-lhes uma exposição dos acontecimentos por ordem, explicando-lhes que fora compelido por um anjo a não recusar a ordenança do Senhor a anunciar na casa de gentio. E neste texto, Pedro revela a Palavra que traz a luz, que o batismo da graça não se faz com água, observe:
Disse Pedro à igreja: E, quando comecei a falar, caiu sobre eles o Espírito Santo, como também sobre nós ao princípio. E lembrei-me do dito do Senhor, quando disse: João certamente batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo.
Portanto, se Deus lhes deu o mesmo dom que a nós, quando cremos no Senhor Jesus Cristo, quem era, então, eu, para que pudesse resistir a Deus?
E, ouvindo estas coisas, apaziguaram-se e glorificaram a Deus, dizendo: Na verdade, até aos gentios deu Deus o arrependimento para a vida (Atos capítulo 11).
Amados em Cristo, ao lermos o capítulo 10 de Atos, fica evidenciado, que a principio, Pedro foi admoestado por um anjo a não recusar a ordenança do Senhor para anunciar o Evangelho na casa de um gentio, e após anunciar a Cristo, todos receberam o Espírito Santo, e mesmo assim Pedro lhes mandou que fossem batizados nas águas.
E quando os irmãos que estavam na Judéia ouviram que também os gentios tinham recebido a Palavra de Deus, imediatamente convocaram a Pedro a dar explicações à igreja, e a razão do seu contato com gentios.
Isso ocorreu, porque os apóstolos estavam enraizados à lei, de tal forma, que até aquele momento, não tinham conseguido descobrir a verdadeira razão por que o véu do templo se rasgou de alto a baixo, logo após ter Cristo entregado seu Espírito ao Pai. Não conseguiam ver a linha divisória que separou as ordenanças que havia no Velho Testamento, da liberdade em Cristo no tempo da graça.
Ainda não entendiam que com a graça, veio também um novo batismo, desta vez com o Espírito Santo do Senhor; porque toda lei da Velha Aliança havia sido sucumbida na cruz pela aspersão do sangue do nosso Redentor.
Portanto, ainda que haja algumas referências sobre batismo em águas no livro de Atos, convenhamos que os episódios relatados neste livro, ocorreram logo após a ascensão do Cordeiro de Deus ao Trono de Glórias do Pai, período considerado de transição da lei para a graça, onde é possível identificar também, o cumprimento de outras ordenanças de velha aliança, e não somente do batismo nas águas.
Vemos por exemplo, que Pedro andou pregando a circuncisão (Gálatas cap. 2); Paulo rapou a cabeça por voto (Atos 18.18), e em Atos 21.24, diz: Toma estes contigo, e santifica-te com eles, e faze por eles os gastos para que rapem a cabeça, e todos ficarão sabendo que nada há daquilo de que foram informados acerca de ti, mas que também tu mesmo andas guardando a lei.
Mas em I Coríntios 1.17, Paulo disse: Porque Cristo enviou-me não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã.
Porque Paulo fez questão de enfatizar que não foi chamado para batizar, mas para evangelizar? Porque a Salvação virá pela fé no Evangelho de Cristo (I Coríntios 15.1, 2 e Romanos 1.16) e não pelo batismo das águas.
Por isso, o Senhor levantou Paulo para anunciar o Evangelho aos gentios; e ainda que tenha se tornado o maior evangelista entre os Apóstolos, batizou pouquíssimo, e afirmou: Dou graças a Deus, porque a nenhum de vós batizei, senão a Crispo e a Gaio, Para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome (I Coríntios 1.14-15).
RITUAL DA LAVAGEM DO CORPO NO ANTIGO TESTANDO
A carta aos Hebreus foi escrita aos cristãos convertidos para que não corressem o perigo de voltar ao judaísmo, dando importância aos ritos cerimoniais. Seu principal objetivo é mostrar a glória transcendente da era cristã em comparação com a do Antigo Testamento.
Mas o capítulo 9.10, revela que na Velha Aliança havia um ritual, com seguimento de batismo nas águas, veja: Consistindo somente em manjares, e bebidas, e várias abluções e justificações da carne, impostas até ao tempo da correção.
Ablução: vem do latim ablutio, que significa lavagem - É um rito presente em muitas religiões, entre as quais o cristianismo e o judaísmo. A ablução é um ritual de purificação, com símbolos, atos e significados variados.
As abluções rituais, nasceram das purificações necessárias após a contaminação proveniente do contato com os cadáveres, das relações sexuais, do parto, da menstruação e outros. Em outras situações, relacionam-se a ritos de preparação para o sacrifício. As abluções eram feitas com água, folha (ramos), e sangue. Fonte: http://pt.wikipedia.org/
O capitulo 2 do livro de João, descreve o primeiro milagre do Senhor por ocasião da transformação da água em vinho, e o versículo 6 narra que, estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus (abluções) e em cada uma cabiam duas ou três metretas (Medida para líquidos que variava entre 30 e 40 Litros).
O NASCER DA ÁGUA E DO ESPÍRITO
Quando o Senhor exortou a Nicodemos sobre o novo nascimento, assim como muitos hoje, ele também entendeu a advertência numa visão material, mas o Senhor lhe falava das coisas espirituais; e disse: O que é nascido da carne é carne, o que é nascido do Espírito é Espírito (João cap 3).
O Senhor deixou bem clara a diferença entre o material e o espiritual, isso significa que o novo nascimento não vem pelo batismo das águas, porque o nascer da água e do espírito é o arrependimento, a conversão, a santificação, através da fé no sacrifício de Cristo na cruz, para remissão dos nossos pecados, e para salvação da vida eterna. Leia mais: NECESSÁRIO VOS É NASCER DE NOVO
A SALVAÇÃO SEM PASSAR PELO BATISMO
A Palavra registra várias referências onde o Senhor salvou inúmeros irmãos, tão somente através fé, evidenciada pelo arrependimento e pela conversão, sem que esses tivessem passado pelo batismo das águas.
Separamos alguns exemplos para vossa apreciação: A mulher do fluxo de sangue (Mateus 9.20-22), o cego de Jericó (Marcos 10.46-52), a mulher pecadora que ungiu os pés de Cristo com lágrimas e os enxugou com os cabelos (Lucas 7.36-50), o leproso que foi curado e voltou para agradecer o Mestre (Lucas 17.11-19), Zaqueu (Lucas 19.1-10), o ladrão que estava dependurado na cruz ao lado do Senhor (Lucas 23.40-443), João 8.11).
E, para esses (os salvos) o Senhor declarava: A tua fé te salvou, porque efésios 2.8, assegura: Pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus.
Em Marcos 16.15 e 16, disse Jesus: Ide por todo o Mundo, pregai o Evangelho a toda a criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.
Crer em que ou em quem para alcançar a salvação? Porventura estaria o Senhor referindo-se ao batismo das águas? Certamente não, Ele referia-se ao Batismo do Espírito Santo no ato da conversão, ou seja, o selo da promessa para salvação, porque o Senhor vinculou o crer e a salvação com o batismo do Espírito Santo, o que será comprovado no decorrer do texto.
UM SÓ BATISMO:
Consideremos que a Palavra de Efésios 4.5 assegura que, há um só Senhor, uma só fé, um só batismo.
Se perguntarmos a alguém se, devemos confiar em outros deuses além do Pai Criador, evidentemente, esse alguém responderá que não. Se dissermos que existem mais de uma fé, certamente discordará. Porque então devemos aceitar dois batismos? Porventura, um só batismo seria o batismo das águas?
O sacrifício da cruz não foi suficiente para salvar o homem, ou teríamos que buscar outra fonte de salvação através das águas?. De maneira alguma, isto é uma forma de desacreditar na Palavra do nosso Senhor e Salvador, o qual afirmou decisivamente:
Na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias. E recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.
E se alguém afirmar que um só batismo, é o batismo nas águas, estará anulando o batismo do Espírito Santo.
Logo, um só batismo, é uma confirmação do batismo com o Espírito Santo, sendo assim, nenhuma pessoa ou igreja (instituições religiosas) tem autoridade bíblica para ministrar batismo nas águas nos dias de hoje.
Gálatas 3.2: Quero apenas saber isto de vós: recebeste o Espírito pelas obras da lei ou, pela pregação da fé?
PENTECOSTES:
Segundo o relato no livro de Atos 2.37-38, no dia de pentecostes, uma multidão vendo isso, compungiu-se em seu coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos varões irmãos?
E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.
Por que seriam batizados em nome do Senhor Jesus? A Palavra diz: Para perdão dos pecados e para receber o dom do Espírito Santo. Então lhe pergunto, o batismo das águas tem poder para perdoar pecados ou para dar o dom do Espírito Santo? João mesmo dimensionou a distinção entre o batismo das águas e o batismo do Espírito, o qual somente Cristo poderá nos dar.
E Atos 2.41 descreve: De sorte que foram batizados, os que de bom grado receberam a sua Palavra; e, naquele dia, agregaram-se quase três mil almas.
Atos 8-14-17: Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, ouvindo que Samaria recebera a Palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João, os quais, tendo descido, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo. (Porque sobre nenhum deles tinha ainda descido, mas, somente eram batizados em nome do Senhor Jesus). Então, lhes impuseram as mãos, e receberam o Espírito Santo.
Aqui a Palavra não deixa dúvida, fala claramente que aqueles irmãos haviam sidos batizados em nome do Senhor Jesus (nas águas), mas sobre nenhum deles tinha descido o Espírito Santo, então Pedro e João, lhes anunciaram a graça e orando sobre eles, receberam o selo da promessa para salvação, porque receberam a Cristo como Único e suficiente Salvador.
Episódio semelhante descrito em Atos 19.1-6 relata: E sucedeu que, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo, tendo passado por todas as regiões superiores, chegou a Éfeso e, achando ali alguns discípulos, disse-lhes: Recebestes vós já o Espírito Santo quando crestes? E eles disseram-lhe: Nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo.
Perguntou-lhes: Em que sois batizados, então? E eles disseram: No batismo de João.
Mas Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse no que após ele havia de vir, isto é, em Jesus Cristo. E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus. E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam línguas e profetizavam.
Observe que aqueles irmãos haviam recebido o batismo de João (nas águas) ou do arrependimento, e sequer sabiam da existência do Espírito Santo do Senhor, e Paulo lhes impôs as mãos, quer dizer, anunciou o Evangelho de Cristo, e creram e sobreveio sobre eles o Espírito Santo, que é o selo da promessa para a eternidade.
Ratificado em Efésios 1.13, onde diz: ...Depois que ouvistes a Palavra da verdade, o Evangelho da vossa salvação; e, tendo nele (Cristo) também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa.
Muitos irmãos trazem consigo a concepção que o batismo no Espírito Santo, só é concebido aos que falam línguas estranhas, mas esse entendimento é um equívoco, porque segundo a Palavra, o falar língua estranha é apenas um dos dons espirituais, e, muitas vezes, o irmão não fala em línguas, mas recebeu outros dons, e já está selado com a promessa da salvação (Atos 19.2 e Efésios 1.11-13), porque segundo o que está escrito, o selo da promessa para salvação recebemos no ato da conversão, independente do batismo das águas. Leia mais: O BATISMO NO ESPIRITO E O DOM DE LINGUA ESTRANHA
Atos 16.30-33, diz: ... E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar? 31 E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.
E lhe pregaram a Palavra do Senhor, e a todos os que estavam em sua casa. E, tomando-os ele consigo naquela mesma hora da noite, lavou-lhes os vergões; e logo foi batizado, ele e todos os seus.
Será que Paulo teria levado os novos convertidos àquela hora da noite a um rio para batizá-los? Observe que ele mesmo disse que não foi chamado para batizar, mas para pregar o Evangelho, porque a salvação virá pela Palavra de Cristo, e não por descer as águas.
Diante de tudo o que foi exposto, atentemos para o que diz mais uma vez a palavra da verdade: Todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo; quer judeu, quer grego, quer servo, quer livre, e todos, temos bebido de um Espírito (I Coríntios 12.13). Portanto, nós, os chamados gentios, pelo fato de não sermos Judeus propriamente ditos, e que mesmo assim alcançamos a graça pela promessa, definitivamente, não precisamos ser submetidos a rituais que nunca fizeram parte de nossa cultura, pois isto não faz o menor sentido à luz do evangelho de Cristo.
Louvai ao Senhor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário